08/02/2017

Resenha: Serraria Baixo-Astral

Título: Serraria Baixo-Astral
Autor: Lemony Snicket
Editora: Seguinte
ISBN: 9788535902105
Ano: 2016
Páginas: 176
Compre: Aqui

Sinopse:

Na opinião de Lemony Snicket, de todos os volumes que contam a vida infeliz dos órfãos Baudelaire, Serraria baixo-astral talvez seja o mais triste até agora´. Alto-Astral é o nome da serraria que serve de cenário para as novas calamidades que Klaus, Violet e Sunny serão obrigados a viver. Eis a chamada ´ironia do destino´, pois ali, no meio daquelas árvores derrubadas, daquelas enormes toras de madeira, o que as três crianças vão encontrar é mais uma coleção de coisas horripilantes, tais como uma gigantesca pinça mecânica, bifes do tipo sola de sapato, uma hipnotizadora, um dramático acidente que causará ferimentos e um homem com uma nuvem de fumaça no lugar da cabeça. A vida dos Baudelaire é mesmo muito diferente da vida da maioria das pessoas, ´a diferença principal estando no grau de infelicidade, horror e desespero´...
Diante desse quadro, algum leitor desavisado pode desconfiar: ´Como é que alguém vai se divertir com um livro desses, se as personagens não param de sofrer?!´. A pergunta faz sentido, mas é justamente aí que descobrimos um dos melhores segredos de Lemony Snicket, pseudônimo do americano Daniel Handler. Ele leva o exagero às raias do absurdo, faz o realismo perder feio para o mais deslavado faz-de-conta e o resultado não poderia ser outro: uma brincadeira literária incessantemente bem-humorada.

Resenhas anteriores:


Resenha:

Resenha sem spoiler dos livros anteriores

A saga Desventuras em Séries tem me ganhado mais a cada livro lido e é impossível terminar um livro sem querer ler imediatamente o seguinte. Cada vez mais fico apegada aos órfãos Baudelaire; essa experiência com Sunny, Klaus e Violet fica cada vez melhor todas às vezes que conseguem desmascarar o Conde Olaf.

Lemony sempre fala como será a próxima tragédia dos irmãos Baudelaire; essa, como o título bem diz, é na Serraria Baixo-Astral. Da série, diria que foi o livro mais deprimente e desestimulante que li, pois tudo deu errado desde o início, não teve um momento feliz, a maioria foi de tensão e alívio. Então preparem-se para muitas catástrofes, fatalidades e muitos acidentes. 

Os órfãos vão parar dessa vez nas mãos de um tutor misterioso, Sr. Poe nem consegue pronunciar o nome dele e no final da história nem sabemos seu nome e nem como é seu rosto, pois o homem fuma tanto charuto que a fumaça cobre seu rosto. Ele gosta de ser chamado apenas como Senhor e é um homem que só pensa em si mesmo e em lucro para sua Serraria Alto-Astral.

Em seu novo “lar”, Sunny, Klaus e Violet terão que trabalhar na serraria iguais aos funcionários, não há regalias e nem um local adequado para dormir. O acordo com seu novo tutor é o seguinte: trabalhando para ele, os irmãos ganham refúgio e segurança contra o pérfido Conde Olaf. Como todos sabemos, o vilão conseguiu fugir mais uma vez e consegue com facilidade localizar as crianças.

Dessa vez a preocupação dos Baudelaire não é apenas em saber onde está o Conde Olaf, mas em descobrir porque uma casa de oftalmologia tem o formato do olho da tatuagem do Olaf. Além disso, precisam aprender a sobreviver na serraria sem causar acidentes e a lidar com o capataz Fracutono, um homem terrível, impiedoso e cruel que não liga para o bem-estar de seus funcionários e parece ter uma leve implicância com o trio.


Entre os funcionários e companheiros de quarto, os Baudelaire conhecem o irrecuperável e eternamente otimista Phil: para ele nada pode ser ruim que não seja para o bem, se você quebrou uma perna pelo menos pode economizar fazendo a unha, se ficar sem um braço pelo menos tem o outro; cada desculpa mais absurda que a outra, não parecia possível existir uma pessoa assim em um lugar repleto de injustiças e condições desagradáveis. Porém, apesar de ser uma pessoa tão ingênua, os irmãos acabam sentindo um carinho e apreço pelo homem.

Definitivamente, dentre os quatros tutores, o Senhor foi o pior deles; mesmo o Conde Olaf sendo cruel e querendo roubar a fortuna do trio, dava pelo menos uma comida e um local para chamar de lar menos pior que a serraria. Não duvido mais de nada do que possa acontecer às crianças e nem de que haverá alguém tão egoísta e individualista nos próximos livros.

Nessa nova desventura, Sunny, Klaus e VIolet terão que enfrentar muitos vilões e tentar provar que Conde Olaf ataca novamente em um novo disfarce mais ridículo que os anteriores. Dessa vez, o vilão é Shirley, uma secretária gentil e amável, mas, para nós, ela quer dizer ele; não nos engana, seu olhar e monocelha são sua marca registrada.

Com muitas tragédias, desgraças e infelicidades, a única esperança que os irmãos tinham é de que conseguiriam viver livres do Conde Olaf, mas como felicidade dura pouco, essa triste realidade não é possível. Além disso, o desprezível Olaf tem um novo trunfo e ainda recebe ajuda de seus capangas do teatro. A frase “ Não é com vinagre que se apanham as moscas, as moscas se apanham com mel” é uma triste e infeliz verdade que vocês perceberão ao ler.

Se eu tinha ficado apaixonada e apegada ao Tio Monty, dessa vez adorei o sócio do Senhor, Charles, uma pessoa tão gentil e carinhosa que mesmo não podendo ajudar muitos os órfãos, tenta proporcionar um pouco de alegria e ajudá-los como pode. Não é à toa, que as crianças irão adorá-lo e sentir uma afeição por ele, quase igualmente com o otimista Phil.


Essa nova sucessão de azar será bastante difícil de ler, não por ser ruim, mas porque é desanimador e sombrio perceber como, dessa vez, os vilões parecem levar a melhor. Mesmo quando as crianças conseguem livrar-se do Conde Olaf e seus algozes, não é um final feliz para ninguém; talvez até seja para Charles, para os funcionários da serraria ou para o Conde, entretanto, para os Baudelaire não é. Dessa vez não irão para um novo tutor, os desafortunados irão para um orfanato.
                                                                                                
Como vocês sabem, já saiu na Netflix a série “ Desventuras em Séries”; como sou uma pessoa ansiosa, acordei antes das 6h para poder assistir os episódios assim que saíssem e digo a vocês que valeu a pena. Está lindo demais de ver, cada detalhe, performance e diálogos. Os atores estão perfeitos e o Neil Patrick Harris ficou impecável como Conde Olaf; esse sim é o Conde Olaf dos livros. Outro detalhe que amei foi a diversidade de atores, temos negros, indianos, americanos e outras nacionalidades. Fiquei impressionada em como a atriz Malina Weissman, que interpreta a Violet, é muito parecida com a que fez o filme, e o ator que fez o Lemony estava com toda essência que o autor tem ao descrever às desgraças dos Baudelaire. São muitos elogios para a série que teria que fazer uma postagem sobre. Apenas vejam e apaixonem-se, a série para exatamente nesse livro, então, se não quiser spoilers, melhor ler os quatro primeiros livros, e mesmo assim irá receber pequenos spoilers dos posteriores.

A Seguinte fez um belo trabalho com o box de Desventuras, os livros são lindos e cada nova capa e detalhe é uma felicidade. A tradução do Carlos Sussekind continua infalível, a diagramação e revisão estão excelentes.

Se você continua gostando de se aventurar pelas desventuras e tragédias dos desafortunados órfãos Baudelaire, irá adorar e odiar essa nova história. Se acredita que achará um momento de felicidade e paz, não poderia estar mais enganado. Divirta-se!


Comentários
22 Comentários

22 comentários:

  1. Apesar de ainda não ter começado a ler os livros, gosto demais de Desventuras em Série. Desde quando era criança e assisti o filme com o Jim Carrey, que estava mais pra comédia, mas eu adorava. Gostei mais ainda da série da Netflix, e agora vou ler os livros. Sua resenha só me deixou ainda mais curiosa com essa história.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha! Li somente os três primeiros (que encontrei na biblioteca aqui da cidade), mas pretendo comprar esse box (se meu bolso permitir, né?)

    Também achei a violet da série parecida com a do filme, e adorei isso! Já que li os livros com essa atriz na cabeça haha

    Abraços!
    http://lupiliteratus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Thais!!
    Estou adorando acompanhar o seu progresso na leitura dos livros Desventuras em série!! Mesmo não tendo lido nenhum dos livros estou gostando de observar de perto as aventuras e desgraças dos irmãos Baudelaire!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Essa série tá ano na minha listinha mas infelizmente nunca tive oportunidade de ler mas tô mega ansiosa para ler principalmente depois do lançamento da série, tenho fé que esse consigo ler os livros kkk <3

    ResponderExcluir
  5. Vi a série em um dia só! E que experiência magnífica!!!
    Eu diria que está uma série perfeita, exceto por um pequeno/grande detalhe..ela termina :/
    E quando isso acontece, a gente fica ali, parado em frente à tela esperando que venham mais alguma coisinha..rs
    Não pude ainda comprar os livros, mas pretendo fazer isso. É sem sombra de dúvidas, uma coleção que não pode ficar fora de nenhuma estante!!!
    E com certeza, este "episódio" é tão triste..e tão doce...
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi Thais!

    Confesso que estou quase comprando esse box, porque assisti a série e agora estou mega curiosa para saber quais mais desventuras aguardam os irmãos! srsrsrsrrs
    Sua resenha só me deixou mais curiosa ainda! Este livro está na série e pelo que li da sua resenha, a série está bem fiel ao livro.

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  7. Foi uma das partes mais tensas da primeira temporada da série! No livro deve estar maravilhoo, cada detalhe


    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  8. Oi Thaís
    Cada vez que vejo um post seu sobre esta série tenho vontade de sair correndo pra comprar estes livros. Estou muito curiosa e até já comecei a assistir a série.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oii Thays,nossa,imagino mesmo que esse livro deve ser angustiante,por que esse negócio de só parecer que o lado do mal sai vencedor deixa a gente revoltado né,os do bem só sofrem,sai da mão de um crápula para cair em outro,esses orfãos estão pagando pelos pecados de toda a humanidade viu,só podem para tanto azar...o nome da série não poderia ser mais apropriado rsrs'

    Mas apesar dessa angústia,creio ser interessante acompanhar eles nessa serralheria,tentando desviar dos perigos que ela proporciona,ainda mais com um patrão desumano,ainda bem que têm uma alma boa nesse lugar para proporcionar alguns momentos de alegria.
    Nossa,você está fanática pela série mesmo,levantar antes das 6 da manhã é só para fã mesmo haha...Mas entendo,também amo séries,apesar de fazer muitooo tempo que não assisto por conta do meu trabalho e estou no final da faculdade,esá muitoo corrido p/ mim,mas agora com esse advento da Netflix kkk,não vejo a hora de poder ter tempo de assistir essa série hehe,e ótima notícia que ela esta muito boa,ótimas atuações dos atores que encarnaram mesmo a essência dos personagens do livro,então claro que quando tiver a oportunidade vou correndo assistir!!!

    ótima resenha,bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniele! Tudo bem?
      Que comentário mais lindo, muito obrigada pelo feedback e espero que consiga assistir a série em breve. Sucesso na Faculdade!

      Beijos

      Excluir
  10. Acabei de ver a série recentemente e pelo visto pegaram bem a essência do livro. Nesse o personagem que achei mais interessante foi o daquele sócio do dono da Serraria. Ficava torcendo para ele ajudar os meninos e foi fácil de me apegar. Imagino como é esse relacionamento deles no livro. Parece ter seguido bem a história.
    E é impressionante como aquela garota que faz a Violet é parecida com a que fez o filme né? Ficou a cópia! Mas achei legal. Também gostei do ator do Lemony porque do jeito que foi feito parecia que estava lendo uma história e assistindo ao mesmo tempo. Achei isso muito legal na série.
    E desventuras é o que não falta para essas crianças né! Ahh como queria ler, está parecendo muito legal e o melhor é que é dessas histórias que você acaba um livro e já quer o próximo. Muito bom =)

    ResponderExcluir
  11. Oii Thaís, tudo bom? Acho que é minha primeira vez aqui no seu cantinho
    Eu tenho O Lago das Sanguessugas em casa, mas nunca peguei para ler pelo simples motivo de não ter os outros livros. Assistir a série e não gostei muito. Achei tudo bastante monótono e, admito, que na parte da serraria quase parei de assistir de vez. Apesar de que acredito que os livros são bem mais instigante para ler como vi algumas pessoas comentando :)
    Gostei bastante da resenha, mesmo que boiando em alguns assuntos.
    Beijos
    Not Found

    ResponderExcluir
  12. Olá, Thaís.
    Eu li os livros todos de uma vez. Em uma semana tinha lido todos. E acho que esse foi meu erro. Acabei não gostando tanto dos livros por ver tantas desgraças junto. Acho que se tivesse lido em pequenas doses, tinha gostado mais. Não que os livros não sejam bons, pelo contrário, são ótimos, é que gosto de livros com finais felizes hehe. Quanto a série da Netflix eu adorei. O Neil está incrível.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  13. Thaís!
    Imagino mesmo que seja desanimador ler, livro após livro, todo sofrimento dos irmãos e nesse parece que é ampliado porque além do Conde Olaf, ainda tem o tal de Senhor que parece ser pior do que ele...
    “Eu quase que nada não sei. Mas desconfio de muita coisa.” (Guimarães Rosa)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  14. Thais essas desventuras em série me enchem de fofura...estou adorando!!!
    Qro mto ler!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Thaís!!
    Tenho que fazer uma maratona desses livro, porque amei a série.
    São 13 volumes, então espero ler cerca de dois ou três por mês (mas a curiosidade vai me fazer ler mais kkk)
    Na série da Netflix os episódios que mais gostei foram os da Serraria Baixo-Astral, pelo menos por enquanto.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Não sabia até pouco tempo que Desventuras era uma série de livros rsrs fiquei muito feliz ao saber e cada resenha que vejo amo um pouco mais. Minha favorita é a Violet e fiquei bem curiosa sobre onde está o Olaf

    ResponderExcluir
  17. O que fazer quando não se pode mudar uma triste realidade? Conformar-se com o "destino"? Essa questão surgiu muito em meu pensamento ao ler que os irmãos tinham uma única esperança no meio de tanta adversidade (liberdade longe do Conde Olaf), mas era uma esperança sem os pés no chão, porque era impossível., mas como felicidade dura pouco, essa triste realidade não é possível. E daí surge a figura do Phil, nos fazendo acreditar que é possível enxergar o bem, mesmo em meio a tanta coisa ruim =)

    ResponderExcluir
  18. Olá, entre os quatro livros que li, este foi o que menos gostei pois acho que as fugas do Conde Olaf passaram a serem ridículas, apesar de ser um livro infantil o autor poderia dificultar um pouco para o vilão. Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Até aqui eu conheço a história, no filme esse livro não retratado, mas na série sim. Pelo que li em sua resenha a série é bem fiel ao livro, e como não li os outro livros, posso dizer também que este, por enquanto, é realmente o livro mais triste e sofrido. Gostei muito da resenha, ótima dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  20. Eu na assisti aos episódios da série mas não nego que gosto ainda muito mais do filme, má a deixando isso de lado eu tenho a intensão de ler a série desses órfãos altamente azarados. Eu espero que você continue gostando cadê vez mais dos livros enquanto avança na leitura. Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Olá...
    Ainda não tive oportunidade de ler essa série, mas sou doida para conhecer de perto a história dos órfãos Baudelaire. Vou aproveitar o Carnaval para assistir a série na Netflix e espero poder ler os livros em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo