08/05/2016

Resenha: Sejamos todos feministas

Título: Sejamos todos feministas
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535925470
Ano: 
2015
Páginas: 
64
Compre: Aqui

Sinopse:

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os
homens”. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé. 

Resenha:
fe·mi·nis·mo (francês féminisme) – substantivo masculino: Movimento ideológico que preconiza a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem. [Definição retirada do dicionário Priberam]

A simples definição do termo feminismo deveria ser o suficiente para concordar com a autora no seguinte ponto: devemos sim ser todos feministas. Porém, infelizmente, não é bem assim que funciona. Na teoria, a maior parte defende a participação feminina na sociedade de maneira igual – excluindo fascistas como o Bolsonaro –, mas na prática, ainda tomamos atitudes que estimulam o patriarcado, a repressão das práticas de liberdade feminina e da livre defesa das ideias das mulheres. Pior, quando elas rompem a barreira social se organizam para desconstruir tais paradigmas, são taxadas de “vitimistas” ou “feminazis”, com uma absurda analogia ao nazismo.

Nesta obra, que na verdade é a adaptação de um discurso, Chimamanda Ngozi Adichie demonstra como é a situação social na Nigéria e como é necessária uma prática feminista ativa para que haja a libertação do gênero feminino. Aponta que, em seu país natal, as mulheres ainda possuem uma vida de privação devido a determinadas práticas culturais. Ademais, ela trabalha a partir de suas memórias para apresentar como a mulher que tenta se libertar é estigmatizada e como o termo feminista, nesse contexto, é como uma afronta, um desaforo; acusar a mulher de ser feminista é como dizer que ela é uma terrorista cultural.


Apesar de curta, a leitura da obra é de suma importância. Através dela conseguimos perceber o quanto ainda é preciso evoluir em todo mundo através de uma prática de liberdade. Afinal, assinar um tratado da ONU comprometendo-se a defender o direito das mulheres é muito pouco. Como a autora bem aborda no seu texto, é necessário tratar a raiz cultural do problema. E como a desconstrução cultural é lenta e cotidiana, é necessária uma postura aguerrida diariamente, pois só assim superaremos o machismo institucionalizado.
“Se repetirmos uma coisa várias vezes, ela se torna normal. Se vermos uma coisa com frequência, ela se torna normal. Se só os meninos são escolhidos como monitores da classe, então em algum momento nós todos vamos achar, mesmo que inconscientemente, que só um menino pode ser o monitor da classe. Se só os homens ocupam cargos de chefia nas empresas, começamos a achar “normal” que esses cargos de chefia só sejam ocupados por homens” (pp. 16 – 17).
O melhor de tudo é que, apesar de tratar de um assunto denso, Sejamos Todos Feministas possui uma linguagem simples e acessível. Como a autora preocupa-se em ser entendida por todos os públicos, a sua escrita é bem direta. Ou seja, não é necessário ter tido qualquer contato com o feminismo anteriormente para que se consiga assimilar a mensagem. Isso faz com que a obra seja uma boa pedida para adolescentes e adultos, homens e mulheres.

Quanto à parte física, eu não tenho o que reclamar. O livro possui uma capa atrativa e uma diagramação simples e confortável. Esses elementos, associados à escrita direta, deixa a leitura rápida e prazerosa.


Em suma, Sejamos Todos Feministas é um livro mais do que atual e que precisa ser lido. Ele não é solução para as diferenças de gênero no Brasil, mas é ao menos uma luz para que possamos entender melhor sobre o assunto, a partir da voz de alguém que sofre tal opressão. Sem dúvidas, obra recomendada!
“Ensinamos que, nos relacionamentos, é a mulher quem deve abrir mão das coisas. Criamos nossas filhas para enxergar as outras mulheres como rivais (...), mas como rivais da atenção masculina” (p. 34).




Comentários
28 Comentários

28 comentários:

  1. eu acho fundamental debatermos o tema. no brasil, com essa impressão falsa de que somos receptivos, alegres e unidos, o número de mulheres assassinadas principalmente por familiares é assustador. parceiros são os que mais assassinam mulheres porque não fizeram o jantar, porque não cumpriram suas obrigações conjugais. sem falar nas inúmeras violências sexuais em crianças pelos próprios parentes, na maioria das vezes pelos pais ou padastros. sim, é sempre pejorativo quando olham quem se intitula feminista. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Também acho que todos devíamos aceitar o feminismo, não entendo quem é contra ele, porque realmente muitas mulheres ainda sofrem com o machismo, quero muito ler o livro e gostei da autora ter usado uma linguagem simples

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos!

    Já li este livro e tenho que concordar! O discurso feito pela autora é maravilhoso e faz muito sentido. Eu poderia ficar horas ouvindo-a sem a intenção de perda de tempo. Além das verdades que ela descreve, tbm gostei muito de saber um pouco mais sobre sua vida, o que não foi nada facil!

    Belíssima resenha como sempre!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Oi, Marcos!
    Esse livro é meu sonho de consumo, mas sempre ele está em falta --'
    Vou procurar esse discurso dela
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcos, tudo bom?
    Esse livro/discurso é ótimo né?
    O bacana é que ele é acessível para qualquer leitor.
    Quero ver se compro algumas edições impressas para sair distribuindo por aí, entre a família e amigos :)
    Pior que a mudança de costumes, crenças, hábitos, ideais acontece de forma muito lenta. A gente precisa explicar um milhão de vezes, a mesma coisa, para ver se as pessoas começam a entender ;P
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Marcos,gosto muito dessa autora e esse livro que mostra uma adaptação de um de seus discursos sobre o feminismo em sua essência é com certeza uma obra que não deve faltar em nossa lista.Realmente uma leitura de suma importância.Amei os quotes!

    ResponderExcluir
  7. Perfeita a resenha!! Esse livro deveria ser mais do que só livro, deveria ser leitura obrigatória!

    Amei!!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  8. Esse tema tem grande importância e são inúmeras as discussões sobre. Super me interesso, e acho interessante e necessário entender sobre o assunto para o desenvolvimento da sociedade atual

    ResponderExcluir
  9. Oi, Marcos! Tudo bem? Assim como você, gostei muito de "Sejamos Todos Feministas". A obra é uma daqueles que devem ser lida pelo maior número de pessoas possível, né? Adorei a resenha! :)

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Marcos,
    Da autora, li Hibisco Roxo logo após de ver uma palestra dela no TED. Entretanto, a palestra que deu origem a este livro ainda não assisti, mas agora me empolguei.
    Acho o tema extremamente importante e a autora parece que conseguiu abordá-lo de uma forma bem didática.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Já li e é um ótimo livro! O tema é imprescindível, o livro é uma ótima escolha para qualquer pessoa. Eu sempre dou esse livro de presente para as pessoas, pois ele tem uma linguagem acessível, é rápido, curto e o melhor: barato! E não me engano é R$15,00.

    www.priscilaaborda.com

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro e gostei muito da dica, uma dica válida para todas as pessoas. Se as pessoas se informassem melhor, talvez não haveria tanta desigualdade de gênero. Gostei muito da resenha.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  13. Não duvido que seja uma leitura de importancia grandiosa. É um tema que esta bastante comum na atualidade, na verdade já vem a algum tempo e não deixa de ser discutido. Mais informações sobre isso é imprescindível !!

    ResponderExcluir
  14. Oi Marcos!

    Achei o título, o tema, a capa tudo muito interessante! Acho muito importante livros assim, principalmente na sociedade atual! Vou ler com certeza!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  15. Olá, Marcos. Eu fico muito feliz quando um homem se interessa pelo feminismo e entende o tema em relação à sua complexidade. Como um amigo e colega meu costuma dizer, ele nunca vai saber o que é ser uma mulher, mas consegue sentir empatia pelo feminismo e isso já é maravilhoso.
    Esse livreto é uma maravilha, deveria ser distribuído nas escolas e empresas.

    Adorei teu texto.
    Beijos, Hel - Leituras & Gatices

    ResponderExcluir
  16. Oii!
    O tema é ótimo! Esse livro deveria ficar na cabeceira pra ser lido todos os dias!!
    Adoreei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Olá, Boa Tarde!
    Não conhecia a autora e nem o livro, sempre é bom ler livros que envolva feminismo, e é tão bom quando um homem é cabeça aberta e entende rs
    O livro é bem pequeno é uma leitura rápida, mas com um assunto muito interessante, já entrou pra minha lista que só aumenta rsrs

    ResponderExcluir
  18. Já conhecia o livro, e quero muito ler, esse é um assunto muito importante e eu acredito que quanto mais conhece-lo e quanto mais ler sobre o mesmo, melhor!
    Enfim, ótima resenha e dica!

    ResponderExcluir
  19. Olá, Marcos.
    É um livro que me interessa porque nunca li nada sobre o assunto. Mas tem coisas que fica mais difícil mesmo na prática. Como sou evangélica por exemplo e fui criada assim, tem coisas que não entra na cabeça hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  20. Oi, Marcos
    Um discurso em livro e com esse tema, deve ser mesmo maravilhoso. Tenho curiosidade em ler o livro, apesar de não ser uma prioridade.
    Concordo com a autora sobre cortar o mau pela raiz, aliais acho que com todos os problemas são assim.
    Gostei de saber que a linguaguem é boa também.
    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  21. Oi
    parece ser um livro bem interessante para se debater, não conhecia esse livro mas com a sua resenha fiquei interessada e é bom saber que é uma leitura curta.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Oi,Marcos
    Acho importante que todos saibam o que é o feminismo e desconstruam essa visão radical e extrema que muitos têm.
    O livro já chama a atenção pelo título e capa e ainda por ter uma linguagem simples é mais acessível para aqueles que não estão acostumados e nem familiarizados com esse tema.
    Parabéns pela resenha, bela descrição sobre o livro.

    Beijos,

    liliterario.com

    ResponderExcluir
  23. Marcos
    Eu recebi este livro e já li, mas achei que era um resumo de um livro maior, como uma degustação. Até fiquei sabendo que está de graça na Amazon e fui lá baixar o "suposto" livro completo, mas deu falha e não consegui. Achei a autora genial e acho que as maiores culpadas pelo machismo são as mulheres que erram na criação dos filhos.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Top Comentarista de Maio, serão 3 ganhadores e você ainda pode ganhar um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir
  24. Oi Marcos! Ótima sua resenha, como sempre. Não conhecia o livro, mas não tem como discordar da importância do tema. Ainda mais se abordado de forma simples e clara. Espero ter a oportunidade de vir a ler. Obrigada. Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Ouço tanto falar em feminismo mas nunca olhei no dicionário o significado. Quem é favor e contra deveriam olhar também!

    ResponderExcluir
  26. Olá, Marcos.
    Já assisti a esse discurso da Chimamanda e apesar de ter o livro aqui, ainda não tive oportunidade de lê-lo. O que pretendo fazer o quanto antes.
    Acho que no fundo, no fundo, sempre fui feminista, ainda que não tivesse consciência, agora, tendo consciência, posso militar mais ativamente pelas pautas feministas.
    A Chimamanda é uma autora que gosto muito. Não sei se você já leu os outros livros dela, mas recomendo a leitura de "Americanah".
    Ótima resenha.
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  27. Oi!
    Conheci esse livro da Chimamanda Ngozi Adichie, a pouco tempo mas estou bem curiosa para poder ler, com certeza esse é um livro importante e essencial e achei bem interessante a autora ter utilizado uma linguagem fácil de entender tornando o livro mais acessível e quero muito ler esse livro !

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo