10/05/2017

Resenha: Os meninos da Rua Paulo

Título: Os meninos da Rua Paulo
Autor: Ferenc Molnár
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 8535928464
Ano: 2017
Páginas: 280
Compre: Aqui

Sinopse:

Publicada em 1907, a história dos meninos que travam batalhas pela posse do “grund” da rua Paulo, um pedaço de terra cercado onde se brinca à vontade, é conhecida por leitores de todo o mundo. A luta pelo “grund” vai além da vontade de comandar o local: ali, infância e fantasia prevalecem sobre as imposições do mundo adulto. O espírito de aventura, amizade e heroísmo presente nesta obra é capaz de transpor qualquer barreira de tempo, espaço ou idade. Esta nova edição conta com, além dos textos presentes na anterior, uma orelha assinada por Luiz Schwarcz, um posfácio de Michel Laub e um glossário.

Resenha:

Os Meninos da Rua Paulo, clássico da juventude para muitos, é uma obra envolvente, ágil e bela, que fala de valores que, muitas vezes, encontram-se esquecidos por nossas crianças e adolescentes. É uma aventura para os pequenos e saudosismo para os grandes. É um livro que você precisa conferir. Os motivos? Conto-lhe abaixo.

Nesta obra, acompanhamos um grupo de meninos que lutam em defesa do “grund”, um espaço quase abandonado, que fica na Rua Paulo, usado por eles para brincar e se divertir. Contudo, após algumas desavenças com os garotos do Jardim Botânico, estes resolvem invadir o terreno da Rua Paulo. Porém, não com uma briga desorganizada, com paus e pedras, mas uma guerra. Cada pessoa no grupo tem a sua patente. O combate é regido pela ética e tem regras bem definidas. 

Nesse contexto, destaca-se o general dos meninos da Rua Paulo, João Boka, e o soldado raso, o franzino Nemecsek. Aliás, ele, apesar do pequenino tamanho, é grande em coragem e pretende galgar postos e tornar-se oficial. Contudo, a vida reserva gratas e ingratas surpresas para todos. Quais? Para tal, é necessário ler a obra.


Partindo dessa premissa, Molnár constrói um romance de formação que é formidável. Valores como honra, amizade, ética, lealdade e coragem são trabalhados intensamente durante toda a obra. Esse é aquele tipo de livro onde encontramos exemplos para levar para a vida toda, seja de inteligência, perspicácia, estratégia ou de coragem. Lido na juventude, os protagonistas marcarão a sua vida. Lido na idade adulta, a marca será a mesma, porém, deixará um gostinho a mais: a saudade dos tempos passados.

Outro ponto que chama a atenção da obra é a qualidade do texto. Apesar de ser um livro para jovens e crianças, a obra não narra as aventuras de maneira superficial, apressada e simples. O autor, em parte também devido ao período que a obra foi escrita, preza por uma construção mais elaborada, uma escrita mais formal e um enredo bem amarrado. Pode causar estranheza para alguns no começo, mas, página a página, tornar-se-á um deleite para os olhos. Afinal, nada melhor do que uma escrita rica para completar uma premissa também maravilhosa.

Além dos elementos já destacados, chamam a atenção a construção dos personagens, que demonstram uma profundidade e um potência psicológica incrível. Aliás, vale ressaltar, o livro é muito melhor nesse aspecto do que centenas de livros adultos que encontramos por aí. Os personagens são bem delineados, conhecemos seus pensamentos, a forma de agir e entendemos a essência de tudo. Ademais, no fim da obra, a ação dos jovens guerreiros faz-nos refletir sobre o que realmente importa no mundo.


Há, entretanto, alguns pontos que precisam ser explicados. Não são pontos negativos, mas características de seu tempo que precisam ser entendidas de forma correta, sem um olhar anacrônico que hoje é tão comum. Destes, o primeiro é a ausência quase que total das personagens femininas da obra. Os combatentes, tanto da Rua Paulo quanto do Jardim Botânico, são meninos. Às mulheres, resta o papel da costura da bandeira e de cuidar dos doentes. Ademais, há certo ideal de militarismo pregado nas páginas, o que nós sabemos que culminou nas duas grandes guerras. Se entendermos essas duas características como do tempo da gênese da obra, aproveitaremos grandemente a leitura. É claro, entretanto, que não é pregado uma leitura acrítica aqui. Contudo, faz-se necessário não julgar uma obra de 1907 com um olhar de 2017.

Quanto à parte física, eu só tenho elogios para a Companhia das Letras. A capa está genial e representa com perfeição tudo que iremos encontrar na obra. A diagramação está boa e muito confortável, propiciando uma excelente leitura. Devo destacar, entretanto, a tradução que está primorosa. É, sem dúvidas, um dos melhores trabalhos que já encontrei nesse sentido. Ou seja, tudo colabora para uma leitura prazerosa.

Em suma, o presente livro, além de ser um excelente romance de formação, é uma obra que possui todos os aspectos para ganhar os leitores mais jovens e também os mais adultos. Sem dúvidas, uma leitura que precisa ser feita por todos que gostam de boa literatura. 


Comentários
17 Comentários

17 comentários:

  1. Oi, Marcos

    Que pena que quase não há mulheres e aquelas que existem na história sejam tão mal aproveitadas, mas realmente é um retrato da época em que ele foi escrito, então dá pra relevar, ainda mais tratando-se de um livro tão conceituado.
    Essa capa está mesmo muito bonita, e por mais que eu não curta muito a proposta esse seria um livro que eu leria pelo prazer da descoberta.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  2. Que leitura maravilhosa, necessária em qualquer idade

    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  3. Sem sombra de dúvidas este é um senhor clássico!!! E não me recordo muito da história, afinal, li a obra já tem bem anos. Mas vendo e lendo agora, fiquei com muita vontade reler. E claro, com a cabeça mais adulta..rs
    Antigamente, as coisas eram mais fáceis. Mais prazerosas. Meninos brincavam. Homens se formavam.
    Tentarei reler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcos!
    Com certeza vou anotar sua sugestão. Os livros narrados na visão de crianças tem a capacidade de nos envolver e nos colocar dentro do campo de visão delas, mostrando assim, mesmo que nas pequenas coisas, a enormidade de assuntos que valem a pena serem discutidos.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  5. Olá!! Eu li duas resenhas desse livro que me deixou mto curiosa pra conhecer a escrita, gostei mto do enredo e da forma que o autor desenvolve a história, qro ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Li este livro quando era menininha... Não me lembro muito bem dele, só de que adorei na época. Comprei uma edição novinha pra mim esses dias e estou doida pra "ler", pois será como uma primeira leitura novamente, rsrs.

    Amei a resenha!! Realmente não tem como julgar o nível das brincadeiras e da escrita daquela época com as de hoje, e se bem me lembro, quando li nem percebi a falta das meninas... isso é coisa de adulto.

    Bjkssssss

    ResponderExcluir
  7. estou com o livro na minha estante a ler faz muito tempo. eu ganhei de doação de alguém que se desfazia de seus livros. confesso que nem lembro quem de tanto tempo que faz. até cheguei a pegar e acabei trocando por outro. na verdade a minha edição as letras estão muito espremidas. quem sabe alguma hora me animo. linda essa edição que leu. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  8. Eu não tenho muita vontade nesses tipos de livro, mas aprecio sempre uma leitura que esbanja de boa escrita, enredo amarradinho e desenvolvimento de personagens, o que parece ser o caso. Outro livro que parece com esse é A Coisa, do King. Sabe, tem toda essa vibe de crianças em guerra, acho que tu pode gostar também. O problema é que são mil páginas né, mas é tão alucinante que passa rápidinho <3 Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos! Tô com esse livro nos desejados a um tempo, por indicações de amigos mas não sabia muito bem qual era a estoria dele, saber dos valores intrinsecos na narrativa me deixou agora mais interessada.

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro, acho. Ele parece um bom livro por passar tantas mensagens, valores de amizade, coragem e esse tipo de coisa e com um texto mais juvenil e bem interessante, escrito com zelo e bem amarrado, não é uma história apressada e jovem. Deve ser legal ter essa ideia de ler quando se é jovem e ver a diferença, se tem alguma, quando adulto. Gostei por não ser um livro que marque só uma geração, que possa ser lido independentemente da idade e ainda assim consiga passar bons sentimentos. Parece legal, uma boa dica.

    ResponderExcluir
  11. Primeira coisa: que capa linda!! Há outras ilustrações no livro ou fica apenas na capa?
    Não conhecia esse livro, mesmo que seja antigo como vocês estão dizendo. Acho muito massa esses livros que mostram a visão das crianças em meio a acontecimentos como Guerras, como A Menina que Roubava Livros, um dos meus preferidos :3

    ResponderExcluir
  12. Marcos!
    Nossa! Li esse livro no século passado, mas ainda tenho a lembrança da união dos meninos e da força que tinham juntos.
    É um clássico mesmo e deveria ser indicado nas escolas, principalmente em tempos que o bullying anda dominando no ambiente escolar.
    “A sabedoria dos homens é proporcional não à sua experiência mas à sua capacidade de adquirir experiência.” (George Bernard Shaw)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Marcos!
    Percebe-se, realmente, que o livro é daqueles que te presenteiam com aprendizados que serão levados para toda vida. Gostei das curiosidades que você citou, é interesse um livro juvenil com uma linguagem tão poética.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Um livro bem interessante que possa ler em todas as idades. Na trama demostra varios aprendizados, lições para você pode refletir para vida toda e algo muito interessante!
    Gostei muito da capa dele em forma de quadrinhos!

    ResponderExcluir
  15. Oi Marcos.
    Esse normalmente não seria um livro que me chamaria atenção entretanto essa premissa já me conquistou sem o nem ter lido o fato de que o autor narra tudo de maneira não superficial Já me deixou intrigada e como falei não leio livros com essa premissa que se for mente se for dedicada a jovens e crianças porque tenho uma certa dificuldade de me apegar os personagens mas este livro eu sei que eu vou amar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Que capa linda! Não conhecia a obra, mas gostei muito da premissa. Se é uma leitura que traz uma boa reflexão sobre a vida e seus valores, já vale muito a pena.
    Sinceramente, gostaria de ter a oportunidade de conferir essa leitura.
    Ótima resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Marcos!!
    A história desse livro parece ser bem interessante, gostei muito da resenha e fiquei bem instigada para ler.
    Bjoss

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo