14/05/2017

Resenha: O Jogo Perfeito

Título: O Jogo Perfeito
Autora: J. Sterling
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9788562409165
Ano: 2014
Páginas: 224
Compre: Aqui

Sinopse:

Conta a história de dois jovens universitários, Cassie Andrews & Jack Carter. Quando Cassie percebe o olhar sedutor e insistente de Jack, o astro do beisebol em ascensão, ela sente o perigo e decide manter distância dele e de sua atitude arrogante. Mas Jack tem outras coisas em mente... Acostumado a ser disputado pelas mulheres, faz tudo para conseguir ao menos um encontro com Cass. Porém, todas as suas investidas são tratadas com frieza. Ambos passaram por muitos desgostos, viviam prevenidos, cheios de desconfianças, antes de encontrar um ao outro, (e a si mesmos) nesta jornada afetiva que envolve amor e perdão. E criam uma conexão tão intensa que não vai apenas partir o seu coração, mas restaurá-lo, devolvendo inteiro novamente.

Resenha:

Em O Jogo Perfeito, nós acompanhamos a vida Cassie Andrews e Jack Carter. Eles se conhecem durante uma festa na universidade e há uma atração imediata. Porém, Melissa, melhor amiga de Cassie, avisa que é melhor ela não se envolver com ele, afinal, apesar de bonito, charmoso e de ser o craque do time do colégio, ele não presta. Cassie tenta seguir o conselho da amiga, mas algo foge do controle.

Jack tenta aproximar-se de Cassie, mas ela começa a repeli-lo asperamente; ele, não acostumado a ser rejeitado, começa a insistir dia após dia. Sentindo-se atormentada e encurralada, aceita o convite. Porém, em seu íntimo, Cassie está totalmente atraída por Jack Carter. Ele, por sua vez, sente algo inexplicável também, pois percebe que ela é diferente.

O dia do grande encontro chega e Jack mostra a Cassie um lado desconhecido por quase todos. Ela, pouco a pouco, começa a se encantar ainda mais por ele, apesar de continuar a se fazer de difícil. Carter começa a relaxar e demonstra que pode ser uma pessoa melhor. Porém, quando tudo está caminhando para o entendimento dos dois neste primeiro encontro, muitas coisas inesperadas acontecerão. Será que Jack e Cassie irão conseguir ficar juntos apesar das diferenças?
“Examinei a multidão e me detive, de repente, num par de olhos deliciosos, cor de chocolate. O fato de que os olhos pertenciam a um dos rostos mais belos que já vi era meramente um bônus. O rapaz passou os dedos pelos cabelos negros até que eles alcançassem o rosto bronzeado. Sorriu de forma preguiçosa para mim, e eu senti um arrepio percorrer meu corpo” (p. 9).
J. Sterling cria, nessa obra, um típico romance juvenil americano: de um lado uma menina bonita, inteligente e pouco popular; do outro, um rapaz deslumbrante, muito popular, astro do time do colégio. Clichês à parte, a grande inovação talvez tenha sido o passado de ambos os personagens; os dois têm motivos de sobra para serem como são. Além disso, com os capítulos intercalados em primeira pessoa, podemos conhecer melhor os personagens. 

Porém, se a autora ganha pontos no quesito inovação, ela perde um pouco na velocidade do desenrolar do romance. Cassie deveria ser uma menina “difícil” – termo meio machista, mas é o que a obra tenta passar –, mas, depois de algumas investidas, acaba cedendo. Não obstante, bem pouco tempo depois, os dois já estão em um relacionamento mais profundo. Para uma garota “inalcançável”, Cassie foi bem rápida no gatilho. Ou seja, a autora não consegue manter a coerência sobre a personagem por muito tempo.
“Ele era belo e encantador. E um machista da pior espécie. Meu Deus, o que há de errado comigo?” (p. 11).
Apesar da agilidade para o romance acontecer, os personagens foram muito bem construídos. J. Sterling dá uma razão de ser para eles. E, nesse cenário, Jack é o que chama mais a atenção. Apesar de ser um bad boy com as mulheres, ele é um ótimo neto e um esplêndido jogador de beisebol. Com muitas facetas e com um passado difícil, ele acaba tornando-se uma caixinha de surpresas.

Cassie, por sua vez, apesar de ter sido bem construída, mostra-se, muitas vezes, uma personagem forçada. Sua construção não convence, nem mesmo essa suposta faceta de “pessoa difícil”. Ademais, ela se mostra muito insegura muitas vezes. Tudo bem que Jack não é muito confiável, mas houve certo excesso de drama.
“– Pare de me olhar desse jeito – pedi, constrangida.– De que jeito?– Como um pedaço de carne desejado por alguém faminto.Ele gargalhou e se ajeitou relaxado na cadeira” (p. 40).
Os personagens secundários, apesar de não aparecerem tão fortemente, são bons. Entre estes, Melissa, por sua proximidade com Cassie, é a que chama mais a atenção. Por sua simpatia, acaba ganhando o leitor. Dean, irmão do Jack, também é um bom personagem, apesar de não cativar tanto quanto Melissa.

Quanto à parte física do livro, não há o que reclamar. Apesar de não gostar muito de capas com perfis humanos, essa é boa e representa bem os personagens. Quanto à revisão, diagramação e tradução, é necessário elogiar a editora Faro. As páginas são grossas e amareladas; as letras são grandes e há um bom espaçamento. Além disso, a diagramação é muito boa.
“Cassie queria me provar que era diferente de todas as outras meninas que eu conhecera. Pelo jeito, ela não percebia que já era diferente. Eu a convidei para sair, e jamais convidada garotas para sair” (p. 53).
Se você gosta de um romance leve, com personagens bem construídos, esse, sem dúvidas, é o seu livro. Há uma grande quantidade de clichês, como já disse anteriormente, porém, isso é bem comum nesse gênero. De modo geral, J. Sterling soube criar um livro que vai corresponder às expectativas do seu público alvo.


Comentários
15 Comentários

15 comentários:

  1. Não sou muito ligada nesse gênero, mas parece um bom livro, bem construído!


    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  2. Eu amo um bom romance clichê..rs afinal, nossa vida inteira é um eterno clichê!!!
    Só não gosto muito dessa onda de bad boys que surgiram na literatura depois de Belo Desastre. Sei lá, soa como se tudo fosse igual e isso acaba se tornando maçante.
    Mas...este livro está na lista de desejados faz um tempinho e espero poder ler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro essa trilogia!!! Fofa demais!! Tenho a camiseta Jack autografada pela autora ♥ Pra você ver o nível do tanto que eu gosto dessa trilogia, heheheh

    Amei a resenha!! Dean e Melissa irão te surpreender lá na frente ;)

    Bjssss

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcos.
    Eu já tinha ouvido falar desse livro mas confesso que não me chamou atenção achei a premissa muito Clichê e fiquei um pouco triste que altura se perdeu um pouco na construção da personagem feminina Mas no geral achei o livro bem interessante eu acho que seria algo que eu leria.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde, Marcos!
    Gosto bastante de livros em que são inseridos os passados dos personagens — principalmente quando esses passados são cheios de podres —, mas, acima disso, prefiro livros que fogem de clichês e ''padrões''. Os personagens também não me parecem muito cativantes.
    Abraços :*

    ResponderExcluir
  6. Oi Marcos! Bem clichê a história né? Já nem leio mais livros com esse enredo, a não ser que tenha um diferencial muito positivo.

    aboutbooksandmore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Eu achei que seria uma boia historia por ter esse jeito mais juvenil/adulto. Mas que decepção. Li mas li com a cara torcida, querendo largar o livro e só não largando de pirraça. Com os outros a coisa não melhorou muito, mas como disse: pirraça. Li a série toda de pirraça e não foi um tempo bem gasto. Ahh não. Não gostei desses personagens, não consegui me conectar com eles nem achar muita graça na história e essa garota me dava tanto nos nervos que seeeenhor! É muito clichê e muita coisa que não dá pra engolir =/

    ResponderExcluir
  8. Marcos!
    Bom ver que a autora inovou no romance, porém perdeu pontos no andamento do mesmo, mas ainda assim, deve ser um bom livro para se ler, como qualquer romance adolescente.
    FELIZ DIA DAS MÃES!
    “Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.” (Santo Agostinho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá \o\o

    Romance não faz meu estilo, prefiro livros de aventura e fantasia xD
    Ainda mais sendo um livro com premissa clichê, parece ser algo mais teen...
    Até a sinopse dele é clichê haha
    não me chamou atenção, mas boa leitura para quem curte =]

    ResponderExcluir
  10. Oi Marcos!
    Acho que está mais do que na cara que sou louca por romances haha essas histórias, mesmo as mais repletas de clichês, chamam minha atenção. Mas certos detalhes não deixo passar. Como você mesmo disse, a protagonista apenas se diz ou parece ser "difícil", mas em poucas páginas já muda e acaba cedendo. Acho que isso tira um pouco do encanto da obra.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  11. Eu gosto quando os autores desconstroem o clichê, o que não parece ser o caso do livor. Mas, na real, se é um clichê, é porque o povo compra, né? ASASHUSHASUHASA Não é o meu livro, infelizmente, mas fico feliz que tenha gostado. Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi Marcos! Gostei da resenha, conhecia por nome, apesar de ser um 'romance leve', pretendo ler e conhecer mais a escrita da autora...
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi, Marcos!!
    Gostei muito da resenha do livro, parece ser uma história bem legal!! Valeu pela indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. olá,
    Gostei muito do clichê, desse romance colegial. A personagem me pareceu super fofa e bem diferente e claro que o bonitão não desisti né, parece que nele cresce um sentimento que jamais tinha sentindo, achei super lindo isso!

    ResponderExcluir
  15. Oi.
    O livro parece trazer uma leitura agradável e divertida. Apesar de não ser um dos meus estilo preferidos, se tiver uma chance, talvez venha a conferir.
    Muito boa sua resenha, como sempre.
    Abraços.

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo