13/03/2017

Resenha: Seis segundos de atenção

Título: Seis segundos de atenção
Autor: Humberto Gessinger
Editora: Belas-Letras
ISBN: 9788581741253
Ano: 2013
Páginas: 168
Compre: Aqui

Sinopse:

A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele. Na busca pela faísca da criação da sua arte, que ele persegue pelas noites como uma estrela guia, Humberto Gessinger nos mostra em seu novo livro de crônicas que fazer um segundo valer a pena leva tempo. Um tempo que, às vezes, não queremos ter. Um tempo que não podemos parar nem fazer andar mais rápido. Não é tão fácil quanto parece encontrar um instante mágico, o centro da nossa originalidade, do nosso talento, e manter a conexão com ele. Leva mais do que 600 anos de estudo. Leva 6 segundos de atenção.

Resenha:

Resolvi desbravar Seis Segundos de Atenção por causa do autor e das belas canções que compõe. Humberto Gessinger, à frente da banda Engenheiros do Hawaii, marcou gerações com suas letras inspiradas e bem trabalhadas, além de chamar a atenção por trabalhos mais críticos, algo que eu admiro demais. Embalado por suas melodias, resolvi mergulhar na presente obra. Contudo, apesar de entregar um livro regular, não era o que eu esperava. O Humberto da prosa está, certamente, aquém do Humberto das letras poéticas.

Como é típico em livros de crônicas, Gessinger aborda diversos assuntos em sua obra, fala de tudo e de nada ao mesmo tempo. Analisa a sociedade, as relações, fala de sentimentos, toca em pontos da sua trajetória musical e também da banda. Talvez o grande destaque do livro seja a capacidade de o autor unir pontos bem diferentes e fazer deles um único texto, em geral, criativo.


O livro mantém certa constância: alguns textos bons; a maioria, porém, é regular. Em todos eles, entretanto, encontramos trechos mais profundos, daqueles que guardamos na alma. Aliás, são eles os principais motivadores para que a leitura prossiga, crônica após crônica. O esperado, por ser o autor quem é, eram textos completamente intensos e encantadores; infelizmente, a realidade é um pouco diferente.

Um ponto que ameniza os momentos mais mornos é a presença de algumas músicas na obra. Isso, por um lado, traz um pouco de poesia para o trabalho, o que é excelente e quebra um pouco o ritmo da sequência de textos mais próximo da denotação. Por outro, a presença das canções deixa bem clara a grandiosa diferença que existe entre a escrita do autor nas duas modalidades.


Quanto à parte física, por sua vez, não há o que reclamar. A editora Belas Letras preparou uma edição caprichada e muito bonita, com direito a folhas grossas, páginas pretas e diagramação diferenciada. A revisão do livro também está ótima, o que torna a leitura melhor.

Em suma, Seis segundos de atenção é um livro que oscila entre o regular e o bom, mas que provavelmente vai agradar aos fãs do autor. Humberto não é o melhor cronista do Brasil, mas consegue tirar leite de pedra em alguns momentos, apresentando trechos profundos. Pelo sim, pelo não, vale a leitura.



Alguns trechos:

“Algumas pessoas levam muito a sério esse lance de janela de oportunidade. Correm ofegantes sob a angústia de que a passagem se feche a qualquer momento; de que seja a única e nunca mais se abra. Nessa ansiedade, acabam fechando – além da janela – os olhos para caminhos alternativos” (p. 16).
“Palavras guardam, em si, armadilhas. Uma usina de mal-entendidos em potencial” (p. 41).
“É preciso ignorar algumas coisas para conhecer outras. Vale o mesmo para os sentimentos. “Sentir tudo com intensidade total” são palavras que ficam bem em livros do século XIX ou canções dos anos 60; na vida real, a tradução pode ser não sentir nada” (p. 48).


Comentários
14 Comentários

14 comentários:

  1. Humberto é sem sombra de dúvidas(na minha humilde opinião, um dos maiores músicos e compositores nacionais).
    Mas ele tem a mania de escrever nas entrelinhas e isso, poucas pessoas conseguem entender. Ele nunca é direto em um assunto. Sempre deixa ali, escondidinho em seus dizeres o que realmente quer dizer.
    Tanto é, que muitos o condenam por não entenderem de fato, o que ele diz e prega!
    Se puder, quero muito ler esse novo trabalho dele!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. O livro pareceu bem incrível para quem é fã do musico, não curto muito engenheiros mas não posso dizer o mesmo do livro quem sabe eu não possa conhecer algum dia apesar de ter achado o livro bem detalhista mais isso não é o maior dos problemas.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro Engenheiros do Hawaii, tem algumas canções bastante poética nos álbuns deles por sinal. Então já gostei do inicio da sinopse, aquela frase me fez refletir algumas coisa e momentos que estou passando. E pensei o quanto esse livro poderia transmitir pra minha vida. Só fiquei triste em saber que tem alguns textos regular, mas isso deve compensar na questão de frases para levar para vida toda. Enfim, adorei a resenha...

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto do Humberto e gostei muito deste livro, rsrs. Fã é fã mesmo!!

    Bjksssss

    ResponderExcluir
  5. Eu sabia que conhecia a cara dele de algum lugar!
    Hahahahaha
    O nome não me era estranho e nem a capa, aí quando comecei a ler a resenha, descobri de onde era.
    :P
    Eu não sou muito de crônicas, confesso.
    Contos ainda vai, mas crônicas me cansam, ainda que o tema seja interessante.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  6. Oie
    Sou fã deste cantor, adoro as músicas, mas não sei se leria o livro, quem sabe.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Fico dividida pois apesar de curtir muito o engenheiros, não sou fã de crônicas. Posso contar em uma mão os livros que li do estilo.

    ResponderExcluir
  8. Ai Carlos, eu sou péssima para cantores brasileiros, não conheço ninguém nem uma alminha!!! kkkkk
    Adoro livros de crônicas e me pareceu super interessante. Os fãs da banda devem ter adorado o livro, né?! Eu sei que eu amaria se meus favoritinhos tivessem livros, uma partinha da mente deles na minha mão.

    BJS

    ResponderExcluir
  9. Já li um livro do Gessinger e tive essa mesma impressão: ele é melhor cantor e compositor do que escritor. Suas crônicas são inteligentes, mas falta algo mais. Por ser fã do Gessinger cantor, mesmo assim pretendo adquirir esse livro.

    ResponderExcluir
  10. Marcos!
    Interessante ver um músico/poeta escrever um livro 'morno', achei que veria coisas mais profundas e interessantes.
    Ainda assim, como boa fã, não posso deixar de conferir a leitura.
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Eu gosto de crônicas pois sempre trazem um dia a dia bem legal, falam de amor, amizade e essas coisas. E as músicas dele são lindas. Então acho que vou gostar.
    Gostei da sinceridade na resenha.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Marcos!!
    Adoro as músicas do Humberto. Mais infelizmente não curto muito livros de crônicas!! Então fica a indicação.
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Não sou fã do cantor, nem da banda, mas a diagramação do livro ficou ótima. Não gosto de ler livros bibliográficos, principalmente de cantor, ator, youtuber, enfim.

    www.mecontanoblog.com

    ResponderExcluir
  14. Amo as canções da banda, e não sabia da existência deste livro, uma pena que a obra não seja assim tão boa, mas que de uma forma toca o leitor. Pelas fotos a edição parece estar ótima mesmo, muito linda. Ótima resenha
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo