25/02/2017

Resenha: Último Turno

Título: Último Turno
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788556510181
Ano: 2016
Páginas: 384
Compre: Aqui

Sinopse:

Brady Hartsfield, o diabólico Assassino do Mercedes, está há cinco anos em estado vegetativo em uma clínica de traumatismo cerebral. Segundo os médicos, qualquer coisa perto de uma recuperação completa é improvável. Mas sob o olhar fixo e a imobilidade, Brady está acordado, e possui agora poderes capazes de criar o caos sem que sequer precise deixar a cama de hospital. O detetive aposentado Bill Hodges agora trabalha em uma agência de investigação com Holly Gibney, a mulher que desferiu o golpe em Brady. Quando os dois são chamados a uma cena de suicídio que tem ligação com o Massacre do Mercedes, logo se veem envolvidos no que pode ser seu caso mais perigoso até então. Brady está de volta e, desta vez, não planeja se vingar apenas de seus inimigos, mas atingir toda uma cidade.
Em Último turno, Stephen King leva a trilogia a uma conclusão sublime e aterrorizante, combinando a narrativa policial de Mr. Mercedes e Achados e perdidos com o suspense sobrenatural que é sua marca registrada.

Resenhas anteriores:

Resenha:

A resenha pode conter spoiler dos livros anteriores nos três primeiros parágrafos. A partir do quarto parágrafo, a análise é apenas desse livro.

Em Último Turno, Stephen King volta a mostrar a sua melhor forma, deixando claro que o sobrenatural é realmente a sua praia. Os dois primeiros livros foram ótimos, é verdade; mas esse está um patamar acima. Afinal, quando a insanidade ganha espaço, King mostra porque ele é o incontestável mestre do terror.

Após se transformar no assassino do Mercedes e quase explodir centenas de adolescentes, Brady está de volta, de um jeito muito mais macabro e estranho. Ele está em estado vegetativo, é considerado um incapaz, mas o que ninguém imagina é que sua mente está funcionando perfeitamente. Pior: ele adquiriu alguns poderes interessantes e pretende usá-los para a sua grande vingança.


Bill Hodges, nosso detetive aposentado – ou Det. Apos., como prefere Brady –, continua na ativa, juntamente com Holly, através da sua agência de investigação particular: a Achados e Perdidos. Quando é chamado para dar uma olhada em uma cena de crime, ele percebe que algo muito estranho pode estar acontecendo. Com suas investigações preliminares, ele não acredita no caminho que os fatos vão mostrando. Poderia Brady estar de volta?
“Dá para encontrar qualquer coisa na internet hoje em dia. Algumas coisas são úteis. Algumas são interessantes. Algumas são engraçadas. E algumas são horríveis pra caralho” (p. 23).
Partindo dessa premissa, King traz para nós o grande fechamento da série Bill Hodges, mostrando porque é um gênio quando o assunto é assustar. Depois de muito tratar apenas dos assuntos terrenos, o autor volta a apostar no toque sobrenatural para fechar o arco sobre Brady e Bill. Aliás, vale ressaltar, essa escolha foi acertadíssima. Isso porque Brady sempre foi completamente insano e maquiavélico. Com o sobrenatural do seu lado, esse personagem se torna inesquecível. A sua crueldade – ou loucura – não tem fim, nem a sua inteligência mórbida.

Vale ressaltar que o grande trunfo desse livro são os bons personagens. Bill, Brady, Holly... todos chegam ao seu estágio final de crescimento, mostrando-se maduros, inteligentes e realmente críveis. O embate deles é épico e memorável; isso porque não há super-heróis, todos têm as suas fraquezas e falhas, tornando-os próximos do leitor. Bill já sente o peso da idade, mas tenta não fraquejar enquanto não colocar o assassino do Mercedes definitivamente para fora do jogo; Holly vai tentando vencer seus demônios e medos, mostrando-se, muitas vezes, a personagem mais forte e querida dos três; Brady, mesmo poderoso, é um fraco, pois sua vontade de vingança o cega em vários momentos. Juntos, eles prendem o leitor do começo ao fim.


King também ganha o leitor, nesse volume, por sua escrita. As tradicionais descrições um pouco mais longas continuam presentes; contudo, a trama se desenvolve bem e rápido, com a ação presente em boa parte do livro, sofrendo um pico alucinante no final, onde há, finalmente, o grande confronto. Aliás, a forma como o autor abordou cada um dos personagens e suas potencialidades no fim da obra foi essencial para um término realmente impactante.
“– Como fui me meter nisso? – geme ele.– Do jeito que todo mundo se mete em tudo – diz Brady, com gentileza. – Um passo de cada vez” (p. 171).
Quanto à parte física, só cabem elogios: a capa é bonita e chama muito a atenção, tendo total relação com a trama que é desenvolvida na obra. A diagramação, por sua vez, é simples, mas confortável. Temos também uma boa tradução e revisão, o que contribui para que a leitura flua de forma adequada.

Em suma, Último Turno é um excelente fechamento para essa trilogia, amarrando todas as pontas e alcançando o desenvolvimento máximo de cada um dos personagens. King novamente mostra porque é tão conceituado; quando se inicia um dos seus livros, é quase impossível parar.



Comentários
17 Comentários

17 comentários:

  1. eu gosto desse autor. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos!!!!

    Eu sabia!!!! Sabia que vc ia gostar!!!! Uhuuu!!!! fala a verdade, trilogia maravilhosa neh? Último livro perfeito!!!! *-*
    Por isso gosto tanto desse homem! rsrsrsrs Me deu até vontade de ler os livros novamente! <3

    Adorei resenha, como sempre, maravilhosa!!!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos!
    Coincidentemente estou lendo agora Mr. Mercedes e tenho que dizer o quão surpreso estou com meu primeiro livro do King que não é terror.
    Já vi que vou amar os outros dois da trilogia e agora estou muito ansioso para a série.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Marcos.
    Acho que não li os livros certos do autor ainda. Porque até agora eu não consegui me assustar com os livros dele hehe. Mas tenho o primeiro livro dessa série aqui em casa e assim que der eu vou ler. Quem sabe é nessa trilogia que vou começar a amar o autor.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marcos!!
    Essa trilogia de King é sem dúvida um arraso!! As capas são lindas e a história muito envolvente. Estou bastante curiosa para ler esta série Bill Hodges.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Bom saber que você gostou dos três. Me dá mais coragem de enfrentar mais uma trilogia :)

    Adorei a resenha!

    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Oi Marcos!
    Confesso que não li a resenha na íntegra porque ainda não li esse livro. Mas vi que você gostou da trilogia no geral. Para ser sincera, eu gostei dos dois primeiros livros, mas esperava um pouco mais. Vamos ver como me saio com o último.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, é impossível achar algum autor que supere o mestre do terror, adoro os livros de King e estou muito ansioso para começar essa trilogia, pela resenha vejo que ela encerra-se que forma surpreendente. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do que vi desses livros dele e parece que cada um fica melhor que o outro. É bacana quando uma trilogia ou série consegue passar essa ideia de desenvolvimento, ficar mais envolvente e bem trabalhado e não perder a graça. Parece que esse é pra deixar o leitor alucinado de curiosidade com o desfecho! Tem ação e confrontos esperados, a escrita está mais rápida e pelo jeito termina maravilhosamente bem.
    Acho que iria adorar conhecer essas histórias. É mais um belo exemplo de porque o autor é tão conceituado no que faz, porque até agora não vi muita coisa negativa sobre esses livros.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marcos! Tudo bem? Eu amei Último Turno e essa trilogia como um todo. Cada novo livro lido era um turbilhão de sentimentos que eu passava. Gostei muito do desfecho e até me emocionei com ele. Adorei a resenha! :)

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Marcos!
    Achei fenomenal a ideia do assassino aprender a usar sua mente e passar a matar as pessoas mesmo estando em coma no hospital.
    Tão bom quando uma série termina a contento e os personagens se tornam ainda mais maduros.
    Bom carnaval e moderação, hein?
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá...
    Preciso confessar que ainda não consegui ler nada do King, mas essa série Bill Hodges parece ser sensacional... Amei suas resenhas e fiquei muito curiosa para ler, ainda mais sabendo que os personagens são muito bem construídos e a história se desenvolve bem... Espero poder ler em breve...
    Abraços...

    ResponderExcluir
  13. Gostei do fechamento da trilogia, do Brady adquirir poderes. Fiquei bem curiosa para conhecer mais detalhes da obras, ainda mais por ser a melhor da trilogia. Ótima resenha e dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  14. Eu não sei de onde esse homem tira tanta história de terror porque seus livros sempre fazem sucesso e ele sempre surpreende seus leitores com seus enredos. Eu fico feliz que esse livro tenha superado as expectativas dos dois últimos volumes, eu particularmente só tive uma experiencia com o mestre do terror que foi lendo o Iluminado então quando você fala que a leitura foi ótima eu me sinto tentada a ler essa trilogia. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  15. Mr Mercedes está na lista de desejados faz um bom tempo e Achados e Perdidos também! Agora vem o fechamento da trilogia e em se tratando de King, não tem como não suspirar!
    Amo o trabalho do Mestre e sua forma única de conduzir um bom suspense e terror, mexem com o mais desamedrontado dos mortais.
    Espero sinceramente poder ler todos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Vejo falarem tão bem de Stephen King, um dos meus maiores pecados literários é não ter lido nenhum livro dele mas pretendo mudar isso em breve.

    ResponderExcluir
  17. Quero muitooooo ler essa trilogia!
    Adorei todas as resenhas, sempre muito positivas, e instigantes.
    Principalmente do primeiro livro.
    E esse terceiro, também me deixou bem curiosa, principalmente por esses pontos sobrenaturais. Eu, particularmente, amo livros sobrenaturais.
    bjs

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo