22/07/2016

Resenha: O Pintor de Memórias

Título: O Pintor de Memórias
Autora: Gwendolyn Womack
Editora: Record
ISBN: 9788501071606
Ano: 2016
Páginas: 378
Compre: Aqui

Sinopse:

Um amor que atravessa o tempo. Uma equipe de cientistas prestes a fazer uma grande descoberta sobre a construção da memória e um medicamento milagroso capaz de revelar um mistério antigo.
Bryan Pierce é um renomado pintor cujos trabalhos deslumbram o mundo. Mas há um segredo para seu sucesso: cada tela é inspirada em um sonho excepcionalmente vívido. Sempre que acorda, ele adquire novas e extraordinárias habilidades, como a capacidade de falar línguas obscuras ou um gênio inexplicável para o xadrez. A vida inteira Bryan se perguntou se seus sonhos eram apenas isso ou se seriam memórias, se ele estaria experimentando a vida de outras pessoas. Linz Jacobs é uma neurogeneticista brilhante, dedicada a decifrar os genes que ajudam o cérebro a criar memórias. Ao visitar uma exposição na galeria de uns amigos, ela se depara com a imagem de um pesadelo recorrente de sua infância e adolescência... em um dos quadros de Bryan. Linz localiza o artista, e o encontro dos dois desencadeia o sonho mais intenso do pintor: a visão de uma equipe de cientistas que, na iminência de descobrir uma cura para o Alzheimer, morre em uma explosão no laboratório. Bryan fica obcecado pelas circunstâncias estranhas que cercam a morte dos cientistas, e seus sonhos aos poucos revelam o que aconteceu no laboratório, assim como um mistério mais profundo que o leva ao Egito antigo. Juntos, Bryan e Linz começam a perceber um padrão em seus sonhos. E que há um inimigo mortal observando cada movimento deles que não vai parar enquanto não atingir seu objetivo.

Resenha:

Resenha escrita pela Thaís Snape

Estou impressionada com a qualidade dos lançamentos da Galera e Record, até o momento não houve um livro que não tenha me encantado e com O Pintor de Memórias  não foi diferente. Não imaginei que gostaria tanto da história e que superaria minhas expectativas. Quer saber como? Confira abaixo.

Nas primeiras páginas, começamos a entender um pouco como é ser um pintor de memórias e perceber o quão simples e fascinante é; ao mesmo tempo, é extremamente solitário, já que ninguém consegue entender essas lembranças de pessoas desconhecidas que Bryan tem, por isso, muitas das vezes foi taxado de louco. Porém, ao decorrer da leitura, as peças vão encaixando-se e descobrimos gradativamente o porquê dele acordar estranho e com efeitos de seu último sonho, como falar outras línguas ou até adquirir habilidades da pessoa que sonhou.


“ Meu nome é Bryan Pierce. Estou aqui e agora. Estou aqui e agora. Estou aqui e agora”.
Com toda certeza, um dos principais pontos do livro é: o mistério sobre essas memórias em forma de sonhos que o pintor tem dessas pessoas; algumas delas ele nunca poderia conhecer, já que são de décadas e até séculos passados.  Para deixar a história ainda mais intrigante, a personagem Linz, uma brilhante neurogeneticista, teve por muito tempo um sonho idêntico a um quadro que Bryan pintou. E esse sonho mostrou ser mais importante e fundamental do que pensei.
“De repente, a própria vida tinha se tornado um quebra-cabeça. Objetivamente, porém, Linz era uma cientista e lidava apenas com fatos comprovados por meio de observações e experimentos, enquanto ele era um artista e pintava sonhos”.
O curioso é que Bryan tem essas visões, lembranças, episódios ou memórias alheias há muito tempo e são tão profundas e vívidas que há momentos em que ele não consegue distinguir o que foi realmente foi sonho e o que é real. Quem nunca passou por isso? De acordar de um sonho que pareceu tão real que precisou parar para analisar o que aconteceu e constatar que foi apenas um sonho? Porém com Bryan a conexão é tão intensa que ele sofre bastante com os efeitos.


“ O cérebro é como uma galáxia, com mais células do que há estrelas na Via Láctea”.
Ao mesmo tempo percebe-se que Linz e o pintor possuem uma forte ligação que jamais podiam imaginar. Seria apenas coincidência os encontros inesperados que tinham ou estariam destinados a algo bem maior? E as perguntas não paravam de surgir, como: o que o padre Orígenes e a jovem Juliana do sonho do pintor tinham a ver com a vida deles dois? O que o século III, da década de 80 tem a ver com o presente de Linz e Bryan?

Achei sensacional e fiquei extremamente feliz ao ver a autora citando a teoria do conhecimento de Sócrates – Mito da caverna – e percebi que o pouco que li sobre ele ajudou a entender com mais facilidade e até sacar a ideia do livro mais rápido.

“Linz estava disposta a ingressar em um estado divino ou continuaria para sempre em uma caverna, preferindo o conforto da escuridão às incertezas do mundo exterior?”
As memórias que são contadas em sua maioria são tristes e bem poéticas, outras mostram o poder que o amor de um casal tem sobre as pessoas. Eu me senti transportada para a época descrita e com as emoções afloradas. O aparecimento de uma mulher nos sonhos é tão intrigante, e ao mesmo tempo frustrante, para o pintor e para nós que não conseguimos descobrir quem ela é e o porquê de aparecer sempre nos mesmos momentos. Confesso que fiquei bastante abalada com algumas histórias que eram contadas com tanta profundidade, que ficava impossível não ser empática com as emoções e sentimentos dos personagens.
“Nossos destinos estão interligados. Vou procurar e encontrar você de novo e de novo até voltarmos a esta vida. Nada jamais se perde”.

A obsessão do pintor em descobrir quem é a equipe de cientistas que estavam conseguindo a cura para o Alzheimer é imensa. E conforme mais informações ele conseguia desses, mais intrigado ficava, porque o passado deles tinha a ver com seu presente. Ele conseguia novas pistas para poder finalmente descobrir as respostas que tanto procura e que podem pôr um fim a essas memórias.

Quando comecei a ler demorei a largar o livro e quando o fiz sentia uma urgência de voltar a leitura e percebia que o livro tinha muito a ver comigo. Fala de uma forma bela sobre muitos assuntos, como o surgimento do ódio e suas consequências, o amor, lealdade, destino etc. Em alguns momentos tive que parar para refletir o que tinha acabado de ler; sempre tive curiosidade sobre o que as pessoas acham sobre reencarnação e não tive ainda a oportunidade de me aprofundar sobre esse tema. Posso afirmar que estava gradativamente ficando apaixonada pela leitura.

As almas estão destinadas a amar ou a odiar as mesmas almas inúmeras vezes? Ou podemos conseguir algum tipo de redenção ou entendimento? ”
Bryan é um homem com personalidade forte, é intenso, profundo e com uma grande sinceridade no olhar. Consegui com muita facilidade captar sua essência e ver que enfrenta com bastante esforço os demônios do seu passado através da pintura, que acabou sendo seu refúgio. Não tem maneira mais bonita do que a de transformar aquilo que o perturba em algo que encanta e desembainha admiração nas pessoas, transformando-o em um personagem cativante.

Sua luta em conseguir fazer Linz aceitar a verdade que os cerca é árdua e excessivamente difícil, por ser uma cientista, ela acaba não acreditando que Bryan possa aprender a falar uma língua de um dia para o outro ou que ele consegue adquirir algumas habilidades com muita facilidade e que suas memórias são tão reais quanto os perigos que estão correndo junto com o pai de Linz.
“– Você sabe grego?– Não, eu não sei – respondeu Linz, automaticamente, antes de cair em si. Na mosca, pensou Bryan. Ele se recostou na cadeira, impressionado.
– Você sabe grego, sim.– Acredite, eu saberia se…”

O verdadeiro passado deles começa a vir à tona, e as reviravoltas que acontecem são impressionantes, muitas delas são instigantes que me deram estímulos para avançar com voracidade sobre as páginas e chegar ao seu desfecho final.

“Os olhos eram janelas para a alma”, essa frase fez um grande sentido no livro, seu significado é tão forte e arrebatador que me senti uma tola por ter desconfiado de alguém inocente baseando-me em suas ações que acabei tendo conclusões erradas e acreditei nas palavras e aparência errada de um personagem. Sim, Gwendolyn enganou-me direitinho e admito que não estava preparada para esse feito.

Ao fechar o livro, senti algo inexplicável, foi como se tivesse deixando um pedaço de mim para trás, ao mesmo tempo senti a mesma intensidade de felicidade dos personagens. Ao ler a última frase, ficou impossível não sorrir e ficar relendo os últimos parágrafos. Senti como se o legado do livro tivesse sido deixado para mim.

De todas as palavras que eu possa usar, a que mais bem descreve esse livro seria: surpreendente. É um romance inteiramente diferente de tudo que já li, uma mistura absurdamente primorosa entre passado e presente, a história e poder do tempo, mitologia egípcia e seus deuses, a arte, Ciência e histórias dos nossos antepassados, tudo com uma linguagem de fácil compreensão. 

Estou simplesmente apaixonada por essa obra e digamos que um pouco de orgulho de perceber e ver o grande trabalho de pesquisa e dedicação que a Gwendolyn teve na composição desse romance de estreia. Será um livro que lembrarei sempre com muito carinho.

A capa remete toda simplicidade e as instigantes questões abordadas na obra. Olho para a capa e lembro com facilidade sua história e intensidade.



Com uma linguagem leve e fluída, você lerá com tanto deleitamento que nem perceberá o tempo passando enquanto mergulha na história de Bryan e Linz. A diagramação está boa, com letras e espaçamentos confortáveis, proporcionando rapidez na leitura. Além disso, a tradução do Ronaldo Sérgio de Biasi ficou perfeita e bem próxima da nossa linguagem. Tenho que parabenizar e agradecer o pessoal da Record que por ter feito um lindo trabalho na confecção do livro e ter publicado essa autora. Espero que tragam, para o Brasil, os próximos livros que ela escrever.

Se você gosta de um bom mistério e romance, não deixe de ler essa obra, vale muito a pena e prometo que não vai se arrepender de dedicar suas horas à essa história que guarda grandes segredos e encantadoras surpresas.

Apaixone-se pelo Pintor de Memórias assim como eu.


Comentários
26 Comentários

26 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Olha eu não sou de julgar livros pela capa, mais esse vou julgar ta? haha Eu adorei o trabalho de personalização da capa desse livro e o que eu acho mais legal em livros é a expectativa que eles causam na gente, adorei a dica. Beijos!

    www.robsonvascovith.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Thais!

    Tbm estou adorando os lançamentos da editora. É cada um mais interessante que o outro!
    Confesso que pelo título e capa, eu não leria este livro. Parece-me um livro de auto-ajuda! rsrsrsrsrs
    Mas... sua resenha me deixou curiosa, e quero saber como o personagens tem esses sonhos!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula!
      Obrigada pelo comentário.Pode ler sem problemas, não é livro de auto-ajuda, muito longe disso, fala de uma forma bonita sobre o verdadeiro amor através dos tempos.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oii Thais!
    Adorei a resenha! O livro realmente parece mto bom, começar pela capa, enredo, reflexões que pairam na cabeça da gte, adorei adorei!
    Curiosa pra ler!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oláá
    Nossa, com essa capa, essa premissa, essa resenha e com essa quote: "As almas estão destinadas a amar ou a odiar as mesmas almas inúmeras vezes? Ou podemos conseguir algum tipo de redenção ou entendimento?" maravilhosas e perfeitas tem cm não se interessar pela leitura e adicionar a lista? Não tem como, foi pra lista! *O*
    Abraçoos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
  5. Oi, Thais...
    Sua resenha me deixou desesperada para lê-lo, e amei que ele cita a teoria da Caverna entre outras coisas, a capa também está linda.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  6. Thaís do céu! Tudo bem?
    Não faz isso comigo não, cara. Não me deixa tão curiosa assim pra ler esse livro. Que resenha maravilhosa e instigante! Não quero nem saber, hein... Você vai ter que me arranjar um exemplar desse livro pra eu ler. Meu Deus do céu, por tudo o que você falou, esse livro beira a perfeição. Sério. E eu amo livros assim. AMO, AMO E AMO. Amo livros profundos. Amo livros poéticos. Amo livros que nos enredam de um jeito ímpar. Amo livros que mexe totalmente com minhas emoções e me fazem refletir. PRECISO ler esse livro e a culpa é sua! Hahaha
    Como disse anteriormente, QUE RESENHA MARAVILHOSA. Parabéns.
    Beijo.

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erica!
      Obrigada pelo comentário, olha se eu pudesse daria o livro pra todo mundo que eu conheça, esse livro é maravilhoso demais, vale cada centavo gasto. Espero que leia ele e adorarei saber seu feedback sobre a obra.

      Beijos

      Excluir
  7. Olá, Thais.
    Eu não tinha visto esse livro nos lançamentos. Me interessei bastante. Eu nunca consigo lembrar dos meus sonhos e imagino como dever ser para ele. A história é muito interessante e quando você falou mitologia egípcia me ganhou de vez hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. ooi!
    não conhecia a obra contudo sua resenha me chamou bastante atenção! Que resenha foi essa? estou indo agora comprar esse livro!
    bjs xxx
    http://lendocomela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. OLAR!
    Não conhecia o livro tão profundamente, acho que só tinha visto a capa anteriormente. Mas que resenha maravilhosa! Fiquem com muita vontade de ler!
    Beijos! :D
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
  10. Olá, Thais

    Não conhecia o livro, sua resenha me fez ter muita vontade de ler, parece ser bem profundo e com um tema não muito explorado. E essa capa <3

    ResponderExcluir
  11. Confesso que pelo título essa obra não me atrairia! Mas depois dessa resenha, já salvei o post e anotei o nome do livro para compra futura!

    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  12. Oi oi,

    fiquei louca para ler esse livro. Não conhecia a obra, mas ela parece ser bem interessante, e bom saber que te surpreendeu bastante.

    Beijos!
    Visite o Mademoiselle Loves Books
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  13. Oi Thais tudo bem? Eu ainda não conhecia o livro, mas gostei de conhecer. Ele tem uma premissa bem interessante e diferente. Gosto disso! A capa e o título não chamam a minha atenção, mas depois da resenha fiquei intrigada.
    Beijos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Não sei se leria esse livro. A sinopse e sua resenha me deixaram curiosa, mas tenho medo de não ser exatamente o que penso e me decepcionar, hehe.
    Parece mesmo ser um livro diferente de tudo o que lemos por aí e isso já é um baita convite a conhecer a obra. O fato de ter elementos da mitologia egípcia também me deixou curiosa.
    Vou procurar saber um pouquinho mais da obra e, quem sabe, lê-la futuramente.

    Confissões de uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  15. Adorei sua resenha!
    O sinopse é muito interessante pois esse mistério que o livro traz é instigante e fascinante, ainda mais quando cita o incrível filósofo. O romance é bem poético mesmo e a capa é linda =)

    ResponderExcluir
  16. Gostei demais do que li aqui! Um pintor de memórias... Genial!
    Deve ser um livro lindo demais, as descrições devem ser encantadores...
    E esse mistérios torna tudo mais incrível! Vai para a minha lista!

    ResponderExcluir
  17. Oi.
    Estou encantada com sua resenha, pois me motivou muito a fazer a leitura desse livro! Sinceramente não conhecia essa obra e pela capa, não me chamou a atenção. Mas lendo suas palavras, fiquei muito curiosa pelo desenrolar desse enredo, tão fascinante e cheio de mistérios. Já adicionado a minha lista. Obrigada pela bela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  18. eu não conhecia esse livro, mas sua resenha me deixou totalmente encantada com ele. pelo jeito vc amou e eu fiquei com vontade de me apaixonar tb(sem falar que a curiosidade para saber qual é a dos sonhos dele)
    mais um para minha lista, simplesmente amei a dica

    ResponderExcluir
  19. Oi, Thais
    Já ouvi tantos elogios sobre o livro que estou ficando curiosa.
    Gosto de obras profundas e que mexem com a gente, além de adorar um toque de mistério. Fico feliz em saber que gostou tanto e recomenda.
    A princípio não parece ser uma leitura fácil, mas gostei de saber que não tem como problemas com a leitura e que ela ainda é envolvente.

    ResponderExcluir
  20. Thaís
    Suas palavras deixam o leitor no mínimo curioso, pois a resenha está bastante apaixonada. Pela capa não diria que o livro é tão bom. Gostei do enredo e da proposta.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Sorteio dos seis livros da Carina Rissi no Instagram do blog

    ResponderExcluir
  21. Eu já li vária resenhas sobre esse livro e a cada resenha fico mais entusiasmado com ele!
    Eu não gosto muito de livros com vidas passadas e tal. Mas esse me deixou extremamente curioso! Amei a Resenha!

    ResponderExcluir
  22. Gostei muito da premissa do livro, gosto de histórias que trazem o tema vidas passadas, a mistura do sonho com a realidade. Gostei demais da resenha, me deixou super curiosa para conferir a obra na íntegra.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  23. É uma trama bem original a meu ver, e interessante.
    Parece ser rodeado de mistérios e com muitas reviravoltas.
    Abraços

    ResponderExcluir

© Desbravador de Mundos - Todos os direitos reservados.
Criado por: Marcos de Sousa.
Layout por Fernanda Goulart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo